Autoria

A maioria das atividades postadas neste Blog não são de minha autoria. Elas foram retiradas de várias fontes, tanto na Internet, quanto em livros. Caso forem encontradas aqui, alguma atividade de sua autoria, ficaria imensamente feliz em dar os devidos créditos. É só deixar um recadinho em um dos links de comentários. Abraços!

quarta-feira, 5 de junho de 2013

SUGESTÕES DE ATIVIDADES PARA O EIXO MOVIMENTO

Atividades Psicomotoras Globais e Finas

Abaixo você pode conferir algumas atividades ligadas ao desenvolvimento da coordenação motora global ou fina, caso queira se informar mais sobre o assunto logo após as atividades você encontra alguns conceitos que podem ser úteis.

ATIVIDADES PSICOMOTORAS GLOBAIS

VAI E VÉM
Objetivo – Desenvolver a coordenação ampla, visomotora, atenção e tônus muscular
Atividade – A atividade é desenvolvida com um brinquedo que deve ser utilizado em duplas, o brinquedo pode ser desenvolvido com garrafas pets, fitas adesivas, argolas e fios ou adquirido em lojas especializadas.
Desenvolvimento da atividade – Os participantes da atividade devem segurar nas extremidades, nas argolas plásticas, dando impulso, ao abrir os braços, no objeto para a outra extremidade. 

CORDA
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora ampla, o esquema corporal, estimular a orientação espacial e temporal, ampliar o equilíbrio, a lateralidade  e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  A atividade é desenvolvida com uma corda de quatro metros em média.
Desenvolvimento das atividades –  Pode ser utilizada no chão, em que a criança anda descalça sobre a corda, com os braços abertos, procurando manter o equilíbrio.
Aproveitando a mesma atividade só que agora a criança vai andar de costas sobre a corda.
Ainda esticada no chão a criança pula com os dois pés juntos para esquerda e para direita consecutivamente.
A corda pode ser erguida dez centímetros do chão para a criança pular de um lado para o outro.
A corda pode ser utilizada pela dupla como cabo-de-guerra, no meio do espaço utilizado deve ter uma marca no chão, para visualizar quem está vencendo o cabo-de-guerra.
As crianças podem pular corda. 


BAMBOLÊ
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora ampla, o esquema corporal, estimular a orientação espacial e temporal, ampliar o equilíbrio, a lateralidade  e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  A atividade é desenvolvida com quatro bambolês em média.
Desenvolvimento das atividades –  Uma criança deve segurar o bambolê, enquanto outra vem engatinhando para passar por dentro do bambolê.
Girar o bambolê na cintura e outras partes do corpo, como pescoço e braço.
Com alguns bambolês alinhados lado a lado no chão, andar com a perna esquerda no bambolê esquerdo e a direita no bambolê direito.
Ainda com os bambolês no chão pular com os dois pés de um bambolê para outro.
Com um bambolê somente pular para dentro e para fora.
Brincar com o bambolê na mão, rodando-o como se fosse um volante.
Passar o bambolê pelo corpo inteiro a começar pela altura da cabeça.

ATIVIDADES PSICOMOTORAS FINAS

ALINHAVOS
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora fina, coordenação viso-motora, esquema corporal, estimular a orientação espacial, a lateralidade  e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  A atividade é desenvolvida com alinhavos preparados com papel cartão e figuras plastificado ou adquiridos prontos.
Desenvolvimento da atividade –  A criança deve trabalhar o alinhavo de forma livre ou orientada pelo professor. É possível trabalhar o alinhavo associando outros conhecimentos como as formas geométricas, números, letras, animais, meios de transporte.


ESPONJAS
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora fina, coordenação viso-motora, esquema corporal e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  A atividade é desenvolvida com uma bacia com água e várias esponjas coloridas, com texturas/dureza diferenciadas.
Desenvolvimento das atividades – Colocar as esponjas na água e pedir para a criança retirar uma a uma apertando bem retirando toda água da esponja.


PINÇA
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora fina, coordenação viso-motora, esquema corporal, a lateralidade e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  A atividade é desenvolvida com dois (ou três) recipientes um com objetos e outro vazio e uma pinça tamanho médio.
Desenvolvimento das atividades –  A criança deve transportar os objetos que estão em um recipiente com a pinça para outro recipiente vazio. Pode ser realizado também pedindo que a criança coloque os objetos no recipiente esquerdo ou direito.


ABOTOAR BOTÕES
Objetivo – Desenvolver a coordenação motora fina, coordenação viso-motora, esquema corporal, a lateralidade e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  Placa de feltro com botões pregados e recortes coloridos de feltro no formato de flores.
Desenvolvimento das atividades – A criança receberá a placa com as flores encaixadas nos botões para verificar o resultado final da atividade, as flores de feltro são retiradas e a criança começa a abotoar os retalhos nos botões.


CAIXA DE MACARRÃO
Objetivo –  Desenvolver a coordenação motora fina, coordenação viso-motora, esquema corporal e melhorar o tônus muscular.
Atividade –  Será utilizado uma caixa forrada de material neutro com furos e macarrões do tipo penne.
Desenvolvimento das atividades – A criança recebe a caixa forrada com furos e os macarrões e é orientada para colocar os macarrões nos diversos buraquinhos da caixa. 


José e Coelho (2004) nos elucidam sobre esquema corporal, lateralidade e orientação espacial e temporal:
Esquema Corporal
É o conhecimento do próprio corpo, de sua composição de seus movimentos, postura e atitude. O esquema corporal é um elemento relevante para a formação do eu. A estimulação desse elemento torna o corpo da criança um ponto de referência para a aprendizagem de conceitos elementares no processo de alfabetização (em cima, embaixo, na frente, atrás, esquerdo e direito). A criança que não desenvolve bem seu esquema corporal pode ter problemas em orientação espacial e temporal, no equilíbrio e na postura, dificuldades de se locomover num espaço ou escrever obedecendo aos limites de uma linha ou de uma folha.
Lateralidade
É definida a partir da preferência neurológica por um lado do corpo, no que se refere a mão, olho, pé e ouvido. Existem indivíduos destros ( utilizam o lado direito do corpo), os sinistros ( utilizam o lado esquerdo do corpo) os ambidestros ( que utilizam ambos os lados). A lateralidade cruzada se refere ao indivíduo que teve preferências diferenciadas de lado quanto a mão, olho e pé. A lateralidade indefinida é quando a criança não estabeleceu sua preferência por um dos lados. A criança que não teve lateralidade definida e as crianças sinistras que foram obrigadas a escrever com a mão direita podem apresentar dificuldades de aprendizagem ligadas à grafia, à orientação espacial na folha do papel e a postura inadequada ao escrever.
Orientação espacial e temporal    
É se encontrar, se situar no espaço é ver-se e ver as coisas em relação a si é avaliar e adaptar seus movimentos no espaço, é a consciência da relação do corpo com o meio.
A criança se organiza temporalmente a partir do seu próprio tempo, com a percepção do tempo vivido, ela tem condições de conceituar e se localizar no tempo: hoje, ontem, amanhã, dias da semana, meses, anos, horas, estações do ano, o que ocorreu antes e depois.
Almeida (2009) nos orienta sobre coordenação motora ampla e fina:

Coordenação motora global (ampla)
A coordenação motora global trata dos movimentos dos membros superiores e inferiores, ela está relacionada à organização geral do ritmo, equilíbrio, as percepções gerais e ao desenvolvimento da criança.
Coordenação motora fina
A coordenação motora fina trata dos movimentos realizados pelas mãos e dedos e também de sua ligação entre a mão e o olho, a coordenação visomotora. Esse desenvolvimento é de grande relevância para a escrita e necessita que a criança tenha boa tonicidade muscular nos membros superiores e inferiores.

2 comentários: